20 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
27/07/23 às 15h20 - Atualizado em 27/07/23 às 16h02

Não ao Feminicídio – Diga Não à Violência Contra a Mulher

COMPARTILHAR

 

 

❌ COMBATE AO FEMINICÍDIO ❌

A taxa de homicídios de mulheres no Brasil aumentou 31,46% no período de 1980 a 2019, passando de 4,40 (1980-1984) para 6,09 (2015-2019) a cada 100 mil mulheres, revela o estudo Female homicides in Brazil and its major regions (1980-2019). Existe uma alta frequência de registros de óbitos por causa violenta classificados como “intenção indeterminada” e problemas de notificação, o que leva a crer que os números são subestimados.

Na Região Norte, por exemplo, esse tipo de ocorrência foi maior 49,88% do que o apontado pelo governo. Isso representa 6,46 mortes violentas de mulheres para cada 100 mil habitantes e não 4,31/100.000 como mostra o SIM. O Nordeste vem logo em seguida, com aumento de 41,03% (passando de 5,58 para 7,87 óbitos por 100 mil habitantes).

O menor índice foi observado na Região Sul, embora também tenha sido registrada diferença para cima de 9,13%. Em todos os indicadores indiretos, se evidencia aumento das mortes violentas de mulheres com maiores taxas entre as jovens e maior proporção na população negra.

É importante ressaltar que “medidas são urgentemente necessárias para proteger mulheres em situações de violência. A expansão do financiamento para programas de prevenção à violência contra mulheres também é necessária, ao lado de medidas para reverter o desmantelamento do Estatuto do Desarmamento, já que a existência de uma arma em casa é um dos maiores fatores de risco para a violência de gênero e o feminicídio”, conclui a pesquisa.

PARA DENUNCIAR VIOLÊNCIA DOMÉSTICA OU AGRESSÃO A MULHERES LIGUE 180☎.

A LIGAÇÃO É GRATUITA E VOCÊ NÃO PRECISA SE IDENTIFICAR!

FONTE: Fiocruz.

Mapa do site Dúvidas frequentes