17 de abril

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
18/11/20 às 12h04 - Atualizado em 18/11/20 às 12h06

Estrutura ociosa em São Sebastião será unidades educacionais

COMPARTILHAR

As obras para a readequação da estrutura do antigo albergue de São Sebastião para unidades educacionais já começaram. Nesta terça-feira (17), o administrador da cidade, Alan Valim, e a coordenadora da Regional de Ensino, Luciana Pontes, visitaram o espaço. Nesta primeira etapa serão investidos cerca de R$ 1 milhão do Programa de Descentralização Financeira e Orçamentária (Pdaf).

No local funcionará um Centro Integrado de Línguas (CIL), a Regional de Ensino (CRE) e um Centro de Ensino Fundamental (CEF). Atualmente há quase 4 mil alunos excedentes nas salas de aulas existentes. "O CEF terá 16 salas de aula, com capacidade para mil alunos. Isso reduzirá o percurso de transporte de alunos para o Plano Piloto e vai atender a necessidade dos alunos que moram próximo da unidade", explicou a coordenadora Luciana Pontes. "Além dos excedentes, temos que contar com as novas matrículas no início de 2021. A educação na região só tem a ganhar com essa reforma", complementou.

O administrador contou que o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, determinou a ocupação da área que estava ociosa. "Neste ano pensamos também em destinar para a área da saúde, onde seria um hospital de campanha, em decorrência da pandemia da Covid-19, mas como na nossa região não houve um grande número de casos comparado a outras localidades, voltamos para o projeto de adequar para a educação", disse.

Na época em que pensaram em usar para hospital de campanha, diversas ações foram realizadas. A Administração Regional fez toda a limpeza dos prédios com água e sabão, houve sanitização com produto hipoclorito de sódio; a Novacap pavimentou o estacionamento; e diversas visitas com técnicos da Secretaria de Saúde foram realizadas para elaboração do projeto.

Agora, está definido: a estrutura será para a educação. "Cumprimos assim nossa obrigação de Estado, de olhar para as maiores necessidades e fazer o possível e impossível para seguir adiante. Ficamos felizes que o espaço será bem utilizado pela educação, na cidade não se constrói uma escola há 10 anos e é uma área de grande demanda na nossa região", completa Valim.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros